sexta-feira, 27 de março de 2009

Saiba Mais - "Fanny e Alexander" Ingmar Bergman


O filme "Fanny e Alexander", do genial cineasta sueco Ingmar Bergman, é considerado uma obra-prima e uma de
suas mais brilhantes produções cinematográficas, pois, num profundo mergulho sobre a alma humana, refletiu, com
delicadeza e com perfeccionismo, sobre os enigmas, os prazeres e os terrores do universo infantil. Com 3 horas e 8
minutos de duração, a linha fundamental de "Fanny e Alexander" é auto-biográfica (e isto é flagrante no filme!). As
crianças do filme são encantadoras e inseparáveis: Fanny (Pernilla Allwin) e Alexander (Bertil Guve); a casa abastada
onde ambas vivem é extraordinariamente burguesa. A avó, uma atriz riquíssima, é uma personagem quase mítica, que
habita o apartamento de baixo. Em toda a casa há um mundo feminino que tudo domina. O teatro é um lugar onde as
crianças brincam e procuram refúgio. O menino Alexander é, sem dúvida, um alter-ego de Bergman, experienciando o
puritanismo hipócrita do pastor Vergerus (Jan Malmsipe), que vem a se tornar padrasto de Alexander, em contraponto
aos prazeres mundanos que Alexander encontra nas saborosas refeições, no bom humor, na liberação, enfim, no bem viver
da casa da avó. Vale ressaltar que o pai de Ingmar Bergman era pastor luterano, tendo castigado severamente o
cineasta na infância.
Vários temas estão presentes no filme: amor, ódio, paixão, ressentimento, religião, angústia, neurose familiar, inveja,
morte etc. entrecruzados de forma fulgurante com magia, humor e sensibilidade, celebrando, desse modo, o amor de
Bergman pela arte cinematográfica. Para quem a arte, a obra e a vida são uma mesma e única coisa, Bergman
resume "Fanny e Alexander" com essas belas palavras: "Penso nos meus tempos de menino com prazer e curiosidade
(...) Minhas horas e meus dias viviam repletos de coisas interessantes, cenários inesperados, instantes mágicos.
Ainda hoje posso percorrer a paisagem da minha infância e sentir de novo todo aquele passado de luzes, aromas,
pessoas, aposentos, instantes, gestos, inflexões, vozes, objetos (...) O privilégio da infância é podermos transitar
livremente entre a magia da vida e os mingaus de aveia, entre um medo desmesurado e uma alegria sem limites (...) Eu
sentia dificuldade para distinguir entre o que era imaginado e o que era real..."
"Alexander: Quem é está atrás da porta?
Voz: É Deus que está aqui, atrás da porta.
Alexander: E não pode avançar um pouco mais?
Voz: Nenhum ser vivo deve ver o rosto de Deus.
Alexander: E o que é que você quer de mim?
Voz: Quero apenas comprovar que eu existo.
Alexander: Fico-lhe muito agradecido. Obrigadinho.
Voz: Pra mim, você não passa de um grão de poeira sem importância nenhuma. Sabia disso?
Alexander: Não.
Voz: Aliás, você é muito mau para sua irmã e seus pais, descarado diante dos professores e está sempre com
pensamento ruins. Na realidade, não entendo por que é que eu deixo que você continue a viver, Alexander!
Alexander: Não?
Voz: O Sagrado! Alexander! (...) Deus é o mundo e o mundo é Deus. É muito simples.
Alexander: Eu peço muitas desculpas, mas se de fato é como você diz, então, eu também sou Deus!
Voz: Você não é Deus, de jeito nenhum. Você é apenas um pedacinho de merda, cheio de impertinência.
Alexander: Posso afirmar que sou menos impertinente que Deus..."
(Ingmar BERGMAN. Fanny e Alexander. RJ: Editorial Nórdica, 1985)

Um comentário:

  1. Oi Aninejf,

    Li a sua mensagem em meu blog e agradeço suas gentis palavras.
    Também estou no começo, pois como pôde perceber, estou primeiro estruturando-o e em seguida colocarei uma página que chamarei de "diário" para falar sobre cinema em geral: da atualidade e arquivos do blog sobre a história da Sétima Arte.
    Pode não ser grande coisa, mas é o meu jeitinho de falar sobre um assunto tão cativante quanto o cinema.
    Fiquei muito contente ao constatar que és fã do Grande Mestre Ingmar Bergman. Na página "personalidades" que ainda farei em meu blog (que são vários num só!), Bergman terá um lugar de destaque.
    Quero dizer, por fim, que gostei muito do seu blog, ou dos seus blogs, melhor dizendo! E que gostaria de adicioná-la em emu link de "Blogs Parceiros", se você aceitar, evidentemente.
    "Blogs Parceiros" é uma idéia de outro bloguista http://dissertandosobrecinema.blogspot.com/
    onde se adiciona blogs de pessoas que gostem do verdadeiro cinema.

    Bem, estou aqui e estou a disposição, ok?

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir